Módulos Fotovoltaicos de Origem Biológica

Pesquisadores do Instituto Nacional de Energia Solar da França (INES) estão desenvolvendo módulos fotovoltaicos de origem biológica nas partes frontais e traseiras.

Após uma fase de estudos de 4 meses abrangendo pesquisa, fornecimento de materiais de origem biológica e testes de transformação, as equipes Roctool e CEA-Liten do INES conseguiram implementar os primeiros módulos fotovoltaicos de origem biológica e 100% recicláveis.

Roctool e CEA-Liten uniram seu know-how para testar, usando ferramentas disponíveis no centro de testes da Roctool em Le Bourget-du-Lac, a implementação de painéis de 300 x 300 mm. Os resultados são muito animadores e promissores: excelente qualidade do produto e tempos de ciclo otimizados que reduziriam o tempo de produção em quatro vezes.

“Como a pegada de carbono e a análise do ciclo de vida tornaram-se critérios essenciais na escolha dos painéis fotovoltaicos, o abastecimento de materiais se tornará um elemento crucial na Europa nos próximos anos”, disse Anis Fouini, diretor do CEA-INES , em entrevista à revista PV Magazine France.

Aude Derrier, coordenadora do projeto de pesquisa, disse que seus colegas analisaram os vários materiais que já existem, para encontrar um que pudesse permitir que os fabricantes de módulos produzissem painéis que melhorem o desempenho, a durabilidade e o custo, enquanto reduzem o impacto ambiental.

A parte frontal é feita de um polímero preenchido com fibra de vidro, que proporciona transparência. Já a parte traseira é feita de compósito à base de termoplásticos onde foi integrada uma tecelagem de duas fibras, linho e basalto, que proporcionará resistência mecânica, além de melhora na resistência à umidade.

Módulo Fotovoltaico de Origem Biológica
Um painel de vidro reciclado na frente e um composto de linho na parte de trás

O linho é proveniente do norte da França, onde todo o ecossistema industrial já está presente. O basalto é obtido em outras partes da Europa sendo tecido por um parceiro industrial do INES.

A redução da pegada de carbono é de 75g de CO₂/W, em comparação com um módulo de referência da mesma potência. O peso também foi otimizado e é inferior a 5kg/m².

A tecnologia será destinada aos fabricantes de compósitos, para dar-lhes a possibilidade de produzir peças de diferentes formas e tamanhos, integrando materiais mais leves e duráveis.

Uma nova era de energia renovável está nascendo na Europa, combinando o uso de materiais de origem biológica e recicláveis ​​com tecnologia de fabricação de alto desempenho para reduzir a pegada de carbono.


Fontes:

Liten CEA. Accélération du partenariat : ROCTOOL et le CEA créent les premiers panneaux photovoltaïques biosourcés et 100% recyclables. Disponível em: https://liten.cea.fr/cea-tech/liten/Pages/Medias/Actualites/PV-Haut-Rendement/ROCTOOL-et-le-CEA-creent-les-premiers-panneaux-pv-biosources-et-100-recyclables.aspx

PV Magazine. Solar panels based on biosourced materials. Disponível em: https://www.pv-magazine.com/2022/06/17/solar-panels-based-on-biosourced-materials/


Engenheiro Guilherme Peters Junior

Guilherme Peters Junior

Engenheiro Eletricista e Analista de Marketing na Solar Inove.

Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários
0
Deixe seu feedback referente ao post!x